---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Processo histórico de Belmonte

Publicado em 20/08/2013 às 09:36 - Atualizado em 04/08/2014 às 08:47

A história deste município é datada muito antes da vinda dos primeiros colonizadores. A região teve sua importância histórica quando aqui passaram, em 1925, os integrantes da Coluna Prestes, liderada por Luís Carlos Prestes, que reivindicavam o fim do movimento político-militar brasileiro.

A área de 93,61m², denominada Três Sangas, pertencia a Descanso/SC e, em 1945, recebeu as primeiras famílias de origem polonesa vindas do Estado do Rio Grande do Sul. As terras férteis eram oferecidas a baixos custos pela empresa Bertaso, de Chapecó, em troca da prestação de serviços braçais à Firma Porto, trabalhando na abertura de estradas pelo sertão. Em 1949, o local teve sua primeira via de acesso.

Devido às pequenas ondulações montanhosas, o Padre Aurélio Canzi, pároco de São Miguel do Oeste, denominou o local com belos montes de Belmonte. Até 1947, já habitavam aqui as famílias de Estanislau Niewinski, Félix Wronski, Francisco Gawski, José Piaseski, Félix Niewinski e Júlio Wronski.

As famílias se dedicaram à agricultura e à criação de animais domésticos e, com o aumento da população, novas atividades produtivas foram surgindo, como moinhos, serraria, marcenaria e pequenas granjas de suínos. Logo após veio a necessidade da construção de escola, comércios, estradas e pontes. Em 1958, a comunidade elegeu seu primeiro representante, o Vereador João Revers, e, em 1962, foi eleito o segundo vereador da localidade, Sr. Auzílio Ângelo Bortoluzzi.

Em 17 de maio de 1964, por meio da Lei Estadual nº 956/64, o território foi elevado a título de Distrito, o primeiro do município de Descanso, e a Sub-Prefeitura foi assumida por Adelino João Bortoluzzi.

A população foi aumentando e com o surgimento de entidades e organizações, grupos sociais se organizaram e elegeram uma Comissão Pró Emancipação, para pleitear a criação do município. Os líderes que formaram a comissão foram: Presidente Francisco Revers; Vice-Presidente Artêmio Feliciano Stolarski; Secretário Nadir Dalpont; Vice-Secretário José Villa; Tesoureiro Avelino Sigolin; Vice-Tesoureiro Antônio Lanferdini; Conselho Fiscal José Gilmar Beviláqua, João Decol e Ramilo Giumbelli; e Suplentes do Conselho Fiscal Esvaldo Pavlak, Afonso Sigulin e Anacleto Luiz Novello.

Após reuniões entre integrantes, audiências com as comunidades envolvidas e viagens à Capital do Estado, foi autorizada a realização do plebiscito, ou seja, a consulta popular entre os eleitores que moravam no território do distrito. Em 31 de março de 1991, o povo manifestou sua condição favorável nas urnas em prol da criação do município. Com a aprovação em plebiscito, a Comissão intensificou os trâmites junto ao Governo do Estado para a aprovação do processo.

Em 09 de janeiro de 1992, o Governador Vilson Pedro Kleinübing sancionou a Lei Estadual nº 8.527 que criou o município de Belmonte, formado pela sede e mais sete comunidades: Linha Lajinha, Linha Bela União, Linha Santo Isidoro, Linha Tabajara, Linha Timbaúva, Linha Peperi e Linha São Jorge. A instalação do novo município de Santa Catarina aconteceu em 1º de janeiro de 1993.

A primeira eleição foi realizada em 03 de outubro de 1992, sendo eleito como Prefeito o senhor Silvestre Francisco Wichoroski; Vice-Prefeito, Sr. Avelino Sigolin; e Vereadores Alcides Orso, Clacir Ansolin, José Gilmar Beviláqua, Luiz Sinegália Neto, Nalcir Ângelo Fontana, Néli Terezinha Villa Piton, Plínio Pietro Biasi, Venuto Sigolin e Sabina Francescon.

Em 1996, os eleitores foram às urnas pela segunda vez, elegendo o Prefeito Mauri Scaranti e o Vice-Prefeito Afonso Sigolin. Como Vereadores foram eleitos: Cleomar Pisoni, Leonardo Wronski, Esvaldo Pavalak, Delci Luiz Bortoluzzi, Helena Zabot Tibola, José Villa, Alcides Orso, Adão Ari de Godoy e Odair Basso.

Na eleição de 2000, foi eleito Volmir Giumbelli como Prefeito, Alcides Orso como Vice-Prefeito e como Vereadores João Carlos de Godoy, Antônio Onofre Revers, Sílvio Dalmagro, Aurí Aloísio Rigon, Neri José Novello, Lenoir Klein, Valdecir Antonio Sotili, Élsio Stolarski e Odolir Antonio Piton.

A quarta votação municipal aconteceu em 2004, onde elegeram-se como Prefeito Mauri Scaranti, como Vice Prefeito Altair Antonio Ansolin e como Vereadores Aurí Aloísio Rigon, Jacir Pietro Biasi, Jair Pisoni, João Carlos de Godoy, José Pancotte, Marli Jesuir Bernardi, Sílvio Dalmagro, Valdecir Sotili, Zaclir Stolarski.

Em 2008 foram reeleitos como Prefeito Mauri Scaranti, Vice Prefeito Altair Antonio Ansolin e como Vereadores foram eleitos Antonio Alberto Pancotte, Aurélio Piaseski, Delmar Manica, Genésio Bressiani, Joacir Aléssio, Márcio Piaceski, Marli Jesuir Bernardi, Odair Basso e Simone Radke.

E na última eleição, que aconteceu em 2012, foi eleito o Prefeito Genésio Bressiani, Vice Prefeito Cleomar Pisoni e Vereadores Edivar Adão Piaseski, Gheison Paulo Zambiasi, Janilso Pisoni, João Carlos de Godoy, Juselene Beviláqua Giumbelli, Marli Jesuir Bernardi, Nelson Machado, Odair Basso e Valdenei Carlos Villa.

A cada gestão, o município se desenvolve rumo ao progresso e à qualidade de vida de seus habitantes. Progresso este, que resulta no aperfeiçoamento da educação, da saúde, da infraestrutura, da assistência social, da cultura, dos esportes, da agricultura e do bem estar de todos os munícipes.